top of page

13 de Fevereiro a 22 de Maio - Quinzenal

|

Plataforma Zoom

2021 - Fundamentos do Cristianismo - 4ª Edição

2021 - Fundamentos do Cristianismo - 4ª Edição
2021 - Fundamentos do Cristianismo - 4ª Edição

Horário e local

13 de Fevereiro a 22 de Maio - Quinzenal

Plataforma Zoom

Sobre o evento

Quando: 13 de Fevereiro a 22 de Maio - Dia: Sábados - Número de Sessões: 8 - Duração: 10h-12h - Frequência: Quinzenal

Lotação: Participação mínima 15 pessoas.

​Inscrição: Quota singular: 40€ por pessoa.

Introdução:

“Antes de criticar, conhecer!”

É notável a disposição dos atenienses perante São Paulo: «Então,   tomando-o consigo, levaram-no ao Areópago, dizendo: Poderemos saber que   nova doutrina é essa que ensinas? O que nos dizes é muito estranho e   gostaríamos de saber o que isso quer dizer.» (Actos 17,19-20) A nossa   situação, porém, lança novos desafios. Como sublinha o teólogo Urs von   Balthasar, os interlocutores de Paulo eram muito «temerosos a Deus»;   tratava-se tão-só de desvelar o «Deus desconhecido». Hoje em dia, é a   própria existência de Deus que está em causa, se não estiver mesmo já   esquecida.

​“Antes de discutir, ouvir!”

Esta atitude talvez seja mais necessária para quem vive numa cultura   cristã e parte do pressuposto de que já conhece o que é o cristianismo.   Um caso paradigmático é a Divina Comédia de Dante. Todos ouviram  falar.  Poucos leram. E certamente já ninguém acredita no espaço em que  se  realiza a acção: inferno, purgatório, paraíso… Não será tudo isto  uma  comédia? Uma “Umana commedia”, uma Comédia Humana, como se  intitulou –  por contraposição – o Decameron de Boccaccio?

​“Antes de tomar uma posição, ouvir até ao fim!”

Ao longo de um curso de 5 sessões pretendemos esclarecer o que é a doutrina cristã e qual a sua influência na nossa cultura.

Este curso também está aberto a quem queira aprofundar a sua fé;   especialmente para aqueles que tendo uma formação profissional superior   não querem continuar com uma formação cristã de quarta classe.

Professor Mário Rosa:

Mário Rosa, nascido a 23 de Fevereiro de 1973, é licenciado em   Filosofia pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica   Portuguesa, tendo prosseguido os seus estudos na Faculdade de Letras da   Universidade de Lisboa, obtendo o grau de Mestre em Filosofia sobre   Xavier Zubiri. Foi professor de filosofia e religião durante vinte anos  e  foi, até 2018, orador no Curso Thomas More. É autor de um romance   histórico: O Teatro dos Mundos. Organiza acções de voluntariado no   Centro de Deficientes Profundos João Paulo II, em Fátima.

Programa:

I – Sessão: 13 de Fevereiro

Apologia Negativa: (10h/10h50)

- Tem sentido perguntar por Deus?

- Como falar de Deus perante o indiferentismo?

- Existindo o mal, Deus pode existir?

- Relativismo: A paixão da verdade é o pior dos males? (Umberto Eco)

- O que é a Apologia negativa?

- Um ateu ou agnóstico têm de ser materialistas? (Karl Popper)

Revelação e Fé: (11h05/12h)

- A fé pode ser definida? Diferença entre crença e fé.

- A Tradição Apostólica é fonte de Revelação?

- Evangelho e pregação Apostólica. Os livros apócrifos.

- O Credo: o pensamento grego distorceu a fé bíblica?

- Dogma e pensamento: o conceito «pré-moderno» de limitação.

- «Vós adorais o que não conheceis».

- Fé e Verdade: Libellus fidei do papa Hormisdas.

- A «Consagração na Verdade» na Oração Sacerdotal de Cristo.

II – Sessão: 27 de Fevereiro

A Criação no pensamento bíblico e nos Padres da Igreja: (10h/10h50)

- O pensamento poético pode conduzir à verdade? (Paul Ricoeur)

- O conceito de nada e de transcendência.

- A criação ex nihilo e a nova conceptualização do amor.

- O homem, imagem e semelhança de Deus: o problema do conceito de relação (Santo Agostinho)

- O Paradigma da «Visão» e da «Audição»: o ser humano como vocação.

A Origem do Mal: (11h05/12h)

- O pecado original é um mito?

- Conceito hebraico de conhecimento.

- O problema da transmissão do pecado.

- A exigência de uma nova antropologia

- O «reino da dissemelhança»: o reino do pecado, da dor e da morte.

III – Sessão: 13 de Março

Aliança, Redenção e Igreja: (10h/10h50)

- O Cristianismo é uma religião do Livro?

- Análise do conceito de Aliança no sacrifício de Abraão.

- Mandamentos e Aliança: Moisés

- Encarnação e Redenção: consumação da misericórdia

- A redenção na teologia protestante e na teologia católica

Igreja e Salvação: os Sacramentos: (11h05/12h)

- Joaquim de Fiore e a posteridade: a nova divisão da história da Revelação (Lubac)

- Origem da crise teológica: separação do Antigo e Novo Testamento (Ratzinger)

- Quis Cristo fundar uma Igreja? O contexto de sentido da pergunta.

- A Morte de Cristo pode salvar-me?

- A «justificação» e a «estrutura sacramental da Igreja»: o Baptismo.

- Distinção entre criaturas e filhos de Deus.

- Crer na Trindade: A salvação e as verdades de fé.

IV – Sessão: 27 de Março

Santíssima Trindade: (10h/10h50)

- O Nome de Deus YWVW: no pensamento hebraico e na conceptualização filosófica.

- Deus é trindade: a superação do problema Aristotélico sobre o amor em Deus.

- O modelo da analogia psicológica: mens-notitia-amor. Santo agostinho e São Tomás.

- O modelo da alteridade pessoal e comunhão: Santo Hilário e Ricardo de São Victor.

O Conceito de Misericórdia: (11h05/12h)

- Pode Deus sofrer?

- Non pati, sed compati (São Bernardo)

- A Misericórdia como história.

- Os 4 passos movimento descendente da Misericórdia.

- Os 2 passos do movimento ascendente da Misericórdia.

V – Sessão: 10 de Abril

Encarnação e Vida Cristã: (10h/10h50)

- O que significa a encarnação de Deus?

- A filiação como caracterização existencial de Jesus (Papa Bento XVI).

- Possibilidade de comunhão de vida entre Deus e o homem: (Hans Urs Von Balthasar)

- A noção de providência. As bem-aventuranças.

- O amor pode ser um elemento de compreensão dos mandamentos?

Amor ipse notitia est: de Gregório Magno a Guilherme de Saint-Thierry

Últimas realidades: Justiça, Liberdade e Amor (11h05/12h)

- Liberdade, consciência e verdade.

- Mandamentos e heteronomia.

- O purgatório é uma invenção da Idade Média?

- O Inferno existe?

- O que é o Céu?

- O sacramento da Confissão

VI – Sessão: 24 de Abril

Liturgia e Santa Missa: (10h/10h50)

- Discussão de Moisés e o Faraó: a terra prometida como lugar de culto ou de liberdade política?

- A perda da ligação às religiões naturais com a separação Antigo e Novo Testamento (Ratzinger)

- O conceito grego de Thambos e o Temor de Deus bíblico: a Adoração

- O que é um sacrifício como acto de culto? (Karl Kerényi)

- A Missa é um sacrifício?

- Forma ordinária e extraordinária do rito Romano

Oração: (11h05/12h)

- Teologia da Oração: estrutura trinitária.

- Cultura cristã: Ratio e Sapere: a tradição escolástica e a tradição monástica (Jean Leclercq)

- Oração e discernimento. A importância do ponto 70 dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio.

- Objecções à oração: Deus não fala.

- Métodos de oração

- A liturgia das horas

VII – Sessão: 8 de Maio

Paixão e Amor: (10h/10h50)

- Os elementos constitutivos da paixão amorosa: A lenda de Tristão e Isolda. (Dennis de Rougemont)

- Eros opõe-se a Agape? (Ratzinger/ Karl Barth)

- O amor pode ser um acto de vontade?

- Fenomenologia do pudor em São João Paulo II

- «O Culto como cura do amor» - Platão

Família e Pessoa: (11h05/12h)

- A família é a célula da sociedade ou o indivíduo?

- Discussão do conceito de pessoa: Boécio e Ricardo de São Victor.

- Definição de pessoa como relação partindo da teologia trinitária: «ex-sistência».

- O que é educar?

VIII – Sessão: 22 de Maio

Evangelização: (10h/10h50)

- O Mandamento de evangelizar

- A razão como horizonte comum de diálogo

- O testemunho do arrependimento

- O que é a comunhão dos Santos e o mistério da vicariedade?

Nossa Senhora: (11h05/12h)

- Privilégios Marianos

- A consideração existencial sobre o ser de Maria

- A oração do Rosário

- O significado das Aparições Marianas

- A devoção do Escapulário do Carmo

Compartilhe esse evento

Newsletter
bottom of page